sábado, 27 de junho de 2009

C.R.A.Z.Y

Movies that i never get tired of watching: C.R.A.Z.Y
Por quê? Roteiro, Marc-André Grondin, looks do figurino do Grondrin, David Bowie.








sexta-feira, 26 de junho de 2009

Sobre moda e futilidade


Por que sabemos o nome do inventor do telefone e não do da calça jeans?
Por que as pessoas que se interessam por moda são consideradas fúteis, e quem se interessa por cinema não, sendo que os dois são igualmente comercializáveis?
























Ano passado comecei a me interessar por moda. Por revistas de moda e roupa todos se interessam, em maior ou menor escala. Mas entender e se aprofundar no assunto foram coisas que só aconteceram neste ano, embora ainda me falte tempo.
Estava procurando um livro de antopologia "O que faz do brasil, Brasil?" (que por sinal é um livro muito bom, que tem toda uma análise de costumes culturais, da relação casa-rua-trabalho, da comida, enfim, não era disso que ia falar...) Na mesma estante tinham inúmeros e convidativos livros sobre moda, resolvi dar uma olhadinha. Saí da biblioteca com 4 livros, 3 deles sobre moda.
Trouxe um na mão e três meio "mocados", pois na minha faculdade (jornalismo) a moda é vista como futilidade e , até então, por mim também era. Depois de ler "Chanel" , de François Baudot, "Yves Saint Laurent", de Pierre Bergé, e "Moda & Cultura" de Sonia Marsal entendi o porquê destes livros estarem dividindo a mesma estante com livros de antropologia.


É verdade que a moda tem um papel importante na indústria consumista, mas não podemos negar sua importância na construção da identidade pessoal e cultural, no psicológico e também na história do cinema.


Aliás é através de uma metáfora com cinema, ou com a pintura que podemos entender o que faz da moda uma arte. Como existem cinegrafistas amadores e pintores de fim-de-semana, existem estilistas de fim-de-semana, que enxergam a moda, antes como mercado, depois como arte. Um trabalho que não desprende inspiração e nem estudo (Não é preciso ser nenhum gênio da moda para estampar uma logo em uma camiseta, certo?)


Quem quiser seguir essa linha de raciocínio leia o texto indicado no blog abaixo.
http://www.oficinadeestilo.com.br/blog/o-esforco-de-fazer-moda/
Foi escrito por uma menina de 12 anos.



Para fechar o post vou deixar a dica do livro Moda&Cultura, Sonia Marsal (psicóloga, professora de filosofia e arte e assessora de artes)
O livro fala sobre a influência norte-americana no nosso modo de vestir. Da invenção do jeans, do jeans usado como modo de rebeldia, da moda como uniformização e diferenciação, da roupa unisex do anos 60, da importância a moda no cinema, do consumo, das tribos urbanas (extintas ou não) e de roupa inteligente (junção de moda, arte e ciência).


Fica a dica dos livros de trajetória da Chanel e do Yves S. L., para entender a origem de peças importantes dos nossos (de quem gosta e de quem não está nem aí para moda) guarda-roupas.

PIP+VIDEODANÇA

Fica a dica ;-). Super vale a pena conferir.


tecnolaboraterritório = pip pesquisa de dança = luiz borges.angelo luz.
carmen jorge.viviane mortean.marlon de toledo.vadeco.marcus moraes.adriana alegria


mostra de processo: 220 vp grupo de estudos
em vídeo e performance

coordenação angelo luz
artistas: amu, césar munhoz, diogo messias, fernanda dantas, serafina flores, yara sá,
nuno moulin, paulo de tarso, ramalho, ricardo alvarenga e viviane mortean.

traga seu pen drive e leve pra casa o programa digital da mostra

dias 27 e 28 de junho de 2009 sábado e domingo abertura às 19h
local: estúdio da pip pesquisa em dança rua treze de maio, 220 térreo centro
informações: 41 9199 8766

limite de 40 pessoas por sessão

entrada franca


pip pop mostra de videodança

organizada pela diretora e coreógrafa carmen jorge mostra o resultado de um
período dedicado ao estudo da videodança configurados em 6 vídeos
realizados por artistas paranaenses através do projeto
tecnolaboraterritório idealizado e realizado pela pip pesquisa em dança:

bernarda de giorgia conceição e yara barros
paralelo de rodrigo slompo, mariana baptista e emanuella kalil
contra - objeto de luana navarro, cláudio de souza e gabriel machado
lapse de viviane mortean, marlon de toledo e vadeco
pinko 5 de angelo luz, marlon de toledo e vadeco
clipip de carmen jorge, angelo luz, viviane mortean, marlon de toledo e vadeco
(videodança premiada no festival tápias RJ e selecionada no projeto primeiros passos do sesc pompéia SP)

dia 28 de junho de 2009 domingo às 14:30h
local: cinemateca de curitiba rua carlos cavalcanti, 1174 - centro
informações: 41 3321 3270 e 9142 5529

entrada franca




incentivo: fundo municipal de incentivo à cultura/edital de pesquisa de linguagem em dança

visite o blog www.territorio220.blogspot.com participe e comente as entrevistas sobre processo de
criação, artigos, videodanças, fotos, videoart, 220vp, programações e links!

www.pip.art.br

In New Music We Trust@James Bar



NMWT Party @ Junho/26 @ bar James
Junho em dose tripla, nesta sexta o/

Quem sobe ao palco do James, nesta sexta, é a ótima dupla catarinense Superpose. É tudo de bom, sei que você já sabe :) Além deles, outra dupla, a londrinense Alexandre Heringer & Álvaro Carvalho, que irão discotecar o melhor do Maximal. Mas, não acabou, pois Manolo Neto, dj da Mistinguett, também fará um som especialíssimo. Que noite, hem! Confira mais infos, o EP, remixes, dj set e entrevista, no ótimo blog do projeto.


|Live|
SUPERPOSE > www.myspace.com/superpose
Floripa/SC

|Dj Set|
Alexandre Heringer & Álvaro Carvalho > http://migre.me/2DWH
Londrina/PR
+
Manolo Neto > www.myspace.com/manoloneto
Mistinguett Dj
+
Denis Pedroso
INMWT

Mais infos, além do EP, remixes, dj sets, entrevista, só aqui: www.innewmusicwetrust.com.br

-
Data: sexta/26/Jun/22hrs
Promoção: meia entrada pra todo mundo, antes das 24hrs
Entrada: (após as 24hrs) MR$10, HR$12
Local: bar James (Vicente Machado, 894), www.barjames.com.br

║▌│█│║▌║││█║▌║▌║║▌
IN NEW MUSIC WE TRUST
http://twitter.com/inmwt
www.innewmusicwetrust.com.br
www.orkut.com/Community.aspx?cmm=1965311

quarta-feira, 24 de junho de 2009

O Diabo Veste Zara


E para os que gostam de gastar seu rico dinheirinho na Zara, as loja aqui de Curitiba começam o esperado saldo com rebaixas de preços neste final de semana. É roupa que some, é preço que cai. Então corre... Sabe como é né? "FAST FASHION" Olhou, gostou, levou! Olhou, gostou, pensou demais, perdeu!rs

Curitibanos no SPFW

Minha gente, e o bombadíssimo Flickr do coletivo Lúdica contínua super atualizado... A Silvia Henz e os "lúdicos" Felipe Pedroso, Débora Melo e Michele Micheletto, aparentemente correram para São Paulo e marcaram presença nos últimos dias do São Paulo Fashion Week. A cobertura do coletivo Lúdica resultou em fotos legais dos lounges e desfiles, com direito a clicks de Érika Patolino, Constanza Pascolato, Malana do Brazil´s Next Top Model, Luiza Brunet etc. hauhauh


Strike a Pose: Silvia Henz, dj Raul Aguilera, Felipe Pedroso, Débora Melo e Gilberto Mendes da Perverts.
Clicados por Michele Micheletto

DISKOROCKER

E tem festinha no novo bar curitibano Blues Velvet, que é bem sucedido em Florianópolis e ganhou uma filial por aqui. A última Diskorocker estava ótima, o público era descolado,o bar é bem bacana, tem um palco que lembra um pequeno teatro, na televisão estava passando um filme da Brigite Bardot. A única reclamação do público ficou por conta do banheiro único “único mesmo”.

Acho que o bar vinga sim, na minha opinião é um meio termo entre James e Wonka, com uma programação que vai do rock ao jazz, possui esse nome legal que lembra o filme do David Lynch hauauh. Enfim... o Wonka Bar já tem um público fiel do jazz e ganhou mais um concorrente coladinho ao seu lado ali na Trajano Reis. Mas VIVA A CONCORRENCIA porque tem espaço para todo mundo!

ps: A gerente do bar pediu para ficarmos atentos a programação, pois rola a exibição de filmes com direito a pipoca e cerveja. ADOREI

Hype Bazar + Festa Junina

E tem festa junina na Hype Bazar...

ARTE+POST-IT

POST-IT LOVE

Último final de semana do espetáculo Concerto em Ri Maior


O espetáculo Concerto em Ri Maior volta ao cartaz da cidade renovado


Palhaçada também pode ser coisa séria. O espetáculo Concerto em Ri Maior é a grande prova disso. Resultado de pesquisas e constantes aprimoramentos, a peça foi criada há quatro anos e, após uma temporada de sucesso no oeste do Paraná, volta ao cartaz em Curitiba. Os palhaços Wilson e Sarrafo apresentam-se sábados e domingos, entre os dias 20 e 28 de junho, às 21h no Teatro Regina Vogue.

A peça conta, com muita música e malabarismo, a história do maestro russo Wilson Chevchenco que apresenta a tradição de sua família com a ajuda de seu amigo e fiel tradutor, Sarrafo. Uma comédia para todos os públicos, que apresenta um humor inteligente e sem apelação por meio do resgate de brincadeiras simples e da interação com a platéia.

Foi a partir de exercícios e improvisações que os atores Eliezer Vander Brock e Felipe Ternes deram forma ao espetáculo. O estudo feito dentro da Companhia dos Palhaços - grupo que desenvolve pesquisas sobre a arte do palhaço e técnicas de improvisação - aliado a criatividade são ferramentas indispensáveis para o trabalho dos atores, que mantém a peça mais antiga da companhia em constante processo de evolução - lapidando e repensando a obra, adicionando cenas e adequando a criação aos novos rumos adotados. Quem viu o espetáculo em outras temporadas, encontrará uma obra bem diferente em cartaz.

Apesar da criação do espetáculo envolver muito do lúdico e do improviso, é possível identificar o trabalho de pesquisa em cada detalhe. Desde as brincadeiras até os detalhes de figurino, maquiagem e personalidade de cada palhaço, tudo é cuidadosamente planejado e tem uma significação específica.



A Cia dos Palhaços

Cia dos Palhaços é formada por seis atores: Eliezer Vander Brock, Felipe Ternes, Milene Dias, Rafael Barreiros, Sivestre Neto e Natália Luiz. A trajetória da companhia começou em um grupo de estudos em 2003, mas apenas recentemente tem dado passos consistentes como grupo. Os palhaços Wilson, Sarrafo, Sombrinha, Alipio, Macaxeira e Tinoca têm, desde março desse ano, uma sede própria que é ponto de encontro dos integrantes da companhia e do público já conquistado com os espetáculos – como “Concerto em Ri Maior” dos palhaços Wilson e Sarrafo, “Circo S.A.” de Alípio e Sombrinha e a peça da casa, “A Regra é Cômica”. O Espaço Cultural Cia dos Palhaços,inaugurado em março desse ano, é a base onde os atores desenvolvem pesquisas e ensaios e também promovem oficinas, debates e palestras sobre a arte de ser palhaço.

SINOPSE: Wilson é um palhaço músico e maestro vindo do sul da Rússia e Sarrafo é seu fiel amigo e tradutor. Juntos eles fazem um concerto misturando música, dança e malabarismo. O espetáculo, que explora a interação com a platéia, é indicado para todas as idades.


Fotografias: divulgação


Serviço:

Concerto em Ri Maior

Datas: 20, 21, 27 e 28 de junho, às 21h

Local: Teatro Espaço Regina Vogue

Endereço: Av. Sete de Setembro, 2775 – Shopping Estação

Ingressos: R$ 20,00 (estudantes, professores e pessoas acima de 60 anos pagam meia-entrada).

Informações: www.wilsonesarrafo.com.br




quarta-feira, 17 de junho de 2009

Allons au Pijamon


Neste sábado, dia 20/06, é dia de Plastic Pijama.
Agora o povo já esquentou mais para a festa, quem sabe resolvam parar de fazer a rica para finalmente vestir a fantasia, que nesse caso pode ser um charmoso e quentinho paletó de ursinhos.
A festa acontece no Soho (Visconde do Rio Branco, 870, esquina com Princesa Isabel)e custa 7 reais com look pijama e o dobro fazendo a rica.

Ah é direção garantida, vai...

Mais informações no site www.strikeapose.com.br/plastic

terça-feira, 9 de junho de 2009

A volta do heroin chic

“Heroin chic” é o look popularizado por Kate Moss nos anos 90. A característica dessa “moda de corpo” era a magreza, a pele pálida, as olheiras, e alguns traços de androginia. Qualquer semelhança com os dias de hoje é(?)mera coincidência.


O heroin chic é um reflexo da dependência química e do contexto da época (a popularização às avessas da heroína que passava das classes mais pobres para a média e alta). Outros “seguidores deste movimento” foram Kurt Cobain, Courtney Love e River Phoenix e alguns filmes clássicos da época são Pulp Fiction (Tarantino) e Trainspotting (Danny Boile).

O marco inicial, ou o auge, do heroin chic foi a campanha da Kate Moss para Calvin Klein, em 1993, e o declínio foi em 1997, quando um fotógrafo famoso do ramo (Vincent Gallo) morreu de overdose. Vincent era apaixonado por modelos adolescentes com ar de viciadas, ele tem fotografias mundialmente conhecidas por serem responsáveis pela glamourização das drogas. (Numa delas uma modelo está com uma nota de cem dólares enrolada na mão prestes a cheirar pedras de diamante.)

Como tudo na moda vai e volta, a tendência do heroin chic está querendo retornar. Bem mais suavemente, é verdade. Se antes era Kate Moss e Courtney Love, hoje pode ser Agyness Deyn e Amy Winehouse. Enquanto a moda se restringir somente a aparência, acho ótimo, vou até botar minhas olheiras de fora. O que tudo aponta é que ser magro e drogado está na moda novamente! Não é obrigatório já ter estado em uma clínica de rehabilitação, mas é hyper cool.


Há quem acredite que o padrão magro nunca tenha saído de moda. De certa forma é verdade, mas a rosada e esvoaçante Gisele Bundchen pouco tem a ver com o padrão dos anos 90, e também pouco tem a ver com as modelos que estão emergindo no cenário fashion internacional. Gisele que se cuide, a pálida e andrógina (e linda!) Agyness Deyn (famosa por campanhas da Burberry e Jean Paul Gautier) já a deixou lugares a baixo no ranking do site models.com (site que mede a popularidade das modelos). E ainda acima de Gisele estão as brancas e retilíneas Sasha Pivovarova, Anja Rubik e a ruiva brasileira Caroline Trentini.

Modelos e campanhas a parte, essa moda não se restringe às passarelas. Quem não ouviu e cantou junto o hit “Rehab” da cantora Amy Winehouse nesse verão? (ou melhor, verão passado).E nunca ouviu falar das polêmicas e problemáticas celebridades Lilly Allen, Mary Kate Olsen e Lindsay Lohan?

Escândalos envolvendo drogas, internações, bebedeiras e vexames públicos têm suas fotos publicadas em sites de fofoca internacionais e servem como passa-tempo e “inspirações” para jovens. Com seus ossos semi-cobertos por carne, ilustram álbuns de fotos de adolescentes no Orkut como modelo de perfeição.

Além das adolescentes de Orkut, existem uns jovens mais crescidinhos que seguem o retorno do heroin-chic. Essa turma freqüenta festinhas particulares onde o pó (cocaína) é servido em bandeja de prata e acha super hype sair em sites de fotografia com cara de acabada. Tem fotógrafo que vive de fazer fotos de pessoas “à La heroin chic” em festas privês mundo afora.

Algum fotógrafo sagaz, ou produtor de moda, percebendo essa volta da glamourização das drogas e do culto a magreza, resolver fazer um “revival” do heroin chic e sairam uma leva de fotos que lembram muito essa época.

A conseqüência desse retorno do heroin chic é obvia até certo ponto. Os editoriais de moda e o comportamento de celebridades influenciam o consumo de drogas pela sociedade ou o consumo de drogas em geral chega nas celebridades e influencia os editoriais de moda? Essa pergunta terá resposta quando soubermos se a vida imita a arte ou a arte imita a vida.

quarta-feira, 3 de junho de 2009

Mega Bazar Lúdica

O coletivo de arte Galeria Lúdica, formado pelo trio Débora Mello (arquiteta e artista multimídia), Felipe Pedroso (publicitário) e Michele Micheletto (designer de produtos e fotógrafa), com a ajuda de colaboradores, está organizando seu quarto Mega Bazar nesse fim de semana na Casa Vermelha

Dia 5, 6 e 7 de junho, é dia de Mega Bazar Lúdica. O evento é parada certa do pessoal que curte moda, design e música. São mais de 60 expositores e uma programação especial com direito a desfile e apresentações de banda e DJs.
A programação completa está disponível no site www.galerialudica.com.br.

O MBL, que desde sua primeira edição, em 2007, procura oferecer mais do que um espeço para compras, nesta edição preparou um desfile de moda baseado no tema Intempéries. A inspiração são as mudanças drásticas de temperatura e as estações do ano cada vez mais confusas. O MBL fashion acontece no sábado, dia 7, às 19h e traz marcas conhecidas do público curitibano como Adidas Originals, GUM, Heroína, Tapume, entre outras.




Além do desfile, a quarta edição do bazar tem previsto em sua programação a apresentação dos DJs Gil Riquierme (All Starz), Barbarella & Daniel Peixoto (MONTAGE), Denis Pedroso (In new music we trust) e Gisa Gabriel e Sandra Carraro (Strong Girls). E ainda as bandas Sabonetes, Felix Bravo e Loop le Monkey.

O Bazar acontece de sexta a domingo e custa 3 reais. Vale lembrar que parte do valor dos ingressos será doada ao Hospital Erasto Gaertner.

Veja mais:

www.youtube.com/watch?v=2_CPS6hmPjQ
www.youtube.com/watch?v=df9BQCUQOeU.